sexta-feira, 17 de agosto de 2018

O Desafio dos Bandeirantes, um clássico que retornará em breve

O cenário do RPG nacional é extremamente criativo.
Isso é uma verdade incontestável, seja agora, seja em seus primórdios.
Lançado em 1992, o Desafio dos Bandeirantes, escrito por Carlos Eduardo K. Pereira, Flávio Andrade e Luiz Eduardo Ricon e publicado pela GSA (a mesma que já havia publicado o Tagmar) veio trazer um cenário extremamente original para os padrões da época.

Aqui geralmente acontece um erro de análise. Muitas matérias costumam dizer que o jogo apresenta o Brasil colonial como cenário, o que não é verdade, tecnicamente falando.
Ainda que de fato toda a mitologia e sociedades apresentadas sejam baseadas fortemente em nossa história, o Desafio dos Bandeirantes se passa em um cenário alternativo, um lugar chamado "Terra de Santa Cruz" - que NÃO É O NOSSO PERÍODO COLONIAL, mas sim uma espécie de "realidade paralela" a ele.

Isso não desmerece de forma alguma o trabalho, que até hoje, se lido com atenção,  mostra-se extremamente criativo, mesmo tendo se passado 26 anos!



O sistema de Regras de Desafio dos Bandeirantes é muito bacana e funcional.

O sistema de criação de personagem, que apresenta Raças como "mulatos", "índios", "mestiços", aliado a um diferente sistema de profissões (classes) como "feiticeiros de ferro e fogo", "jesuíta", "pajé",é extremamente simples e eficaz, além de muito divertido.

As regras de combate também são bastante concisas, permitindo combates rápidos, ainda que ofereça uma série de nuanças nesse quesito.

Desafio dos Bandeirantes transpira honestidade em todos os aspectos, seja no texto, nas mecânicas, estética...é um trabalho de um grupo de pessoas que nutriam - e ainda nutrem - um amor profundo pelo RPG e pelo nosso país, e isso é perceptível em cada página!

Segue aqui uma foto da minha fotocópia do jogo; na época da geração xerox, comprei o livro, e um amigo meu fez uma cópia. por uma série de circunstancias esquisitas que não me recordo muito bem, no final, o livro ficou com ele, e eu fiquei com a cópia, que dura até hoje!



Para quem está chegando agora, e nunca ouviu falar do jogo, eis aqui uma sinopse:

Imagine o Brasil colonial do ano 1650. Agora pense nas lendas e mitos brasileiros. Agora imagine que todas essas lendas e mitos são reais de fato, e em certa medida, assustadoras. Imagine que a magia é real, e que é possível controlá-la.

Aí você começa a ter uma boa ideia do que encontrar aqui.

Em dezembro do ano passado, fomos agraciados com a noticia de que o Desafio dos Bandeirantes iria retornar, pela Editora New Order.

Isso me deixou com um sorriso enorme no rosto. Muito mais que simplesmente relançar o material, os autores originais - não sei dizer se toda a trupe, ou não - estão reformulando o jogo.
Pelo que pude apurar - por favor me corrijam se minhas fontes estiverem ultrapassadas - o jogo adotará o sistema D20, e contará com a participação do criador do Shadowrun, Michael Mulvihill, nessa adaptação.
Seja com seu sistema original, que é muito bom, seja adaptado, tenho certeza absoluta de que será um lançamento maravilhoso! Aguardo com muita ansiedade essa nova versão!

Que venha a nova edição!

Um comentário:

  1. Cara ainda não peguei esse material pra jogar, mais me deu uma vontade enorme, sou desenhista e faço releituras do Folclore Brasileiro com meus traços, tenho até um pag no instagran Folk Brazuca. O que tem de lenda que eu conheço vc não tem noção, ideia pra campanha não falta, apesar dessa noticia ser de 2018, ainda espero que tenham o projeto de relançar esse material, pois com certeza iria pegar.
    Cara parabéns pelo blog, de vez enquanto dou um pulo aqui pra dar umas lidas nas suas matéria... Você é inspiração para nós! viva o Solo RPG!!!

    ResponderExcluir

Lançamento: A ESCOLA DE MAGIA E FEITIÇARIA DE TALAKAN

 Imagine uma escola de Magia que fica em um castelo enorme no topo de uma colina. Esse Castelo foi construído através de mágica e possui 4 F...